«

»

abr 20

Posição oficial sobre o caso Verônica Bolina e seus desdobramentos

veronica_image

O PV Diversidade (Núcleo LGBT do Partido Verde – PV/43) vem a público explicitar sua posição com relação ao caso da prisão da travesti Verônica Bolina e seus desdobramentos.

Entendemos firmemente que houve abuso e violência policial na condução dessa prisão. Violência esta – infelizmente – corriqueira na vida de cada uma das travestis e transexuais no Brasil. Os crimes pelos quais Verônica está sendo acusada, devem ser julgados única e exclusivamente pela justiça, e ela deve ter resguardados todos os seus direitos de defesa previstos pela Constituição do nosso país, pois sua integridade física e moral, bem como o respeito à sua Identidade de Gênero foram gravemente violados. Por outro lado, de nenhuma forma, o PV Diversidade defende a impunidade de Verônica em relação aos crimes que ela é acusada de ter cometido.

Com relação a atuação da polícia no caso, estaremos acompanhando e apoiando a investigação e sindicância da instância mais legítima, o Conselho dos Direitos da População LGBT do Estado de São Paulo, presidido pela transexual Agatha Lima. Assim como reconhecemos a atuação de entidades como ANTRA, Fórum Paulista de Travestis e Transexuais, Fórum Municipal de Travestis e Transexuais da cidade de São Paulo, OAB/SP, GADVS (Grupo de Advogados pela Diversidade Sexual), Centro de Cidadania LGBT da Prefeitura de São Paulo e a Defensoria Pública, para reforçar que os abusos cometidos sejam devidamente esclarecidos e punidos.

Por conta deste tipo de atuação, e visando a preservação de todas as pessoas envolvidas no caso, o PV Diversidade não apoia nenhum tipo de protesto ou ato que não venha a ser chamado por entidades e lideranças do movimento de travestis e transexuais diretamente envolvidas com o caso. Também consideramos como extremamente graves os ataques de ódio pelo qual tem sido vítimas militantes da causa LGBT, por não concordarem com atos unilateralmente convocados.

O PV Diversidade também não apoia o linchamento pelo qual tem sido vítima a Coordenadora de Políticas Para a Diversidade Sexual do Governo do Estado de São Paulo, Heloisa Alves, por conta do vazamento seletivo de áudios referentes a suposta confissão de Verônica, posteriormente contestada. Por atestarmos como irrepreensível sua atuação como gestora pública até o momento, e resguardado o mesmo direito de defesa, aguardamos os devidos esclarecimentos da coordenadora, com referência as reais circunstâncias que cercam essa gravação, que devem ser prestados na reunião extraordinária dessa quinta-feira, 23 de abril, do Conselho dos Direitos da População LGBT do Estado de São Paulo (convocatória em https://www.facebook.com/photo.php?fbid=987458747944612&set=gm.701883666601858&type=1&theater).

2 comentários

  1. Arthur Crespo

    Gostaria e entrar em contato com voce Agatha Lima pois sou muito amigo da Veronica e quero muito saber de tudo o que esta acontecendo, como ela esta, se ha a possibilidade de eu escrever pra ela, se vc pode me dizer o endereço e CEP de onde ela esta para que possa me comunicar com a Veronica. O mesmo com a Marli, mae da Veronica,. E se voce puxer me mande seu Whatsapp para que possamos nos falar. Desde ja te agradeco por tudo o que tem feito por ela e estou aguardando a sua resposta. Obrigado, Arthur.

    1. admin

      A Agatha pode ser contatada pelo whats app 16.98172.1396

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


8 + oito =

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>